Mensagens populares

Seguidores

quarta-feira, 6 de abril de 2016

HistóriGeo Portugal - Esmeriz


 ESMERIZ
https://www.facebook.com/pages/Hist%C3%B3riGeo-Portugal/130500857025122 
 Capela da quinta de Pereira - Esmeriz

by Eduardo Santos Carneiro

sexta-feira, 25 de março de 2016

Esmeriz - Famalicão


Capela da Quinta de Pereira - Esmeriz

A Honra de Pereira, Esmeriz – V.N.Famalicão
Rui Gonçalves Pereira, nascido por volta do ano de 1205, teria sido provavelmente o primeiro Senhor da Honra de Pereira em Esmeriz. Documentos de 1285, já referem Pedro Rodrigues Pereira, como sendo Senhor da Honra de Pereira, em S.Pedro de Esmeriz… A Quinta de Pereira em Esmeriz, pertenceu também a D. Pedro Afonso(…), que casou com Dª Beatriz Pereira, no ano de 1401, ela, Dª Beatriz era filha de D. Nuno Álvares Pereira e, como dote pelo seu casamento com o infante, receberia as terras de Barroso e Barcelos, a que se juntavam outros coutos e honras de Entre-Douro-e-Minho e de Trás-os-Montes, bens que se vinham acrescentar às doações de D. João I a seu filho, sobretudo os julgados de Viana, Faria e Vermoim, julgado este ao qual ESMERIZ pertencia…*

*CARNEIRO, Eduardo Manuel Santos (1997) -“Actividades Sócio-Culturais, Comerciais e Personalidades de V. N. Famalicão no início do século XX”, C.M. Famalicão, V. N. Famalicão.https://pt-pt.facebook.com/Hist%C3%B3riGeo-Portugal-130500857025122/?filter=12

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Estação Arqueológica de Perrelos – Delães – Famalicão

 Arqueologia - Vila Nova de Famalicão
No dia 18 de maio de 2015, a turma do 3.º ano da EB 1 de Casas – Oliveira de S. Mateus, realizou uma visita de estudo à Estação Arqueológica de Perrelos, na freguesia de Delães. Esta visita efetuou-se no âmbito da oferta complementar, “História – Viagens pelo Património Cultural”.
A acompanhar os alunos estiveram os professores Isabel Correia e Eduardo Santos Carneiro.
Todos os alunos demonstraram grande interesse ao ouvir as informações que a Dra. Felisbela, arqueóloga da Câmara Municipal de Famalicão lhes ia transmitindo.
Esta “Villa” romana está localizada numa plataforma junto a um caminho público, com possível área de fundição, atestada pela presença de metal num dos seus compartimentos. Embora apareça em toda a área espólio da Idade do Ferro, relacionado com o Castro de São Miguel, e cerâmica romana do séc. I/III, a maior parte do espólio enquadra-se num período que vai do séc. IV ao VI. Dista cerca de 150 metros da capela de São João de Perrelos em Delães, onde foi escavada uma necrópoe medieval.

Eduardo Santos Carneiro
Necrópole Medieval

https://www.facebook.com/pages/Hist%C3%B3riGeo-Portugal/130500857025122?fref=ts

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Pedome - Famalicão




Maleta pedagógica:” Museu da Indústria Têxtil do Vale do Ave”
No dia 16 de abril estiveram nas Escolas Básicas de Pedome e de Oliveira S. Mateus, três técnicas da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, para apresentação da maleta pedagógica sobre o “Museu da Indústria Têxtil do Vale do Ave”. Estas apresentações decorreram nas aulas de Oferta Complementar – Viagens pelo Património Cultural – História. Os alunos do 3º ano ficaram mais uma vez muito entusiasmados e muito interessados com a temática apresentada.
Este projeto “ Viagens pelo património cultural”, dá a conhecer aos mais jovens o inestimável valor e o interesse histórico, arquitetónico, documental, artístico, etnográfico e social dos bens que integram o património cultural do concelho de Vila Nova de Famalicão, cujos espaços museológicos são excelentes exemplos de preservação e divulgação.
Já estão agendadas para maio duas visitas de estudo. Uma à Estação Arqueológica de Perrelos em Delães e a outra ao Museu da Indústria Têxtil, para estes alunos do 3º ano. Nesses dias de visita os alunos e os professores Isabel Correia, Maria Gabriela Silva e Eduardo Santos Carneiro, vão ter a colaboração de uma arqueóloga da Câmara Municipal para a visita de Delães e o diretor do museu têxtil para mostrar e explicar aos alunos mais aspetos importantes do passado do concelho de Vila Nova de Famalicão.
Agradeço às técnicas da Câmara Municipal o empenho e colaboração nestas atividades.
Eduardo Santos Carneiro

https://pt-br.facebook.com/pages/Hist%C3%B3riGeo-Portugal/130500857025122

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Têxtil – Famalicão



Cronologia de algumas das mais importantes fábricas de fiação e tecidos instaladas no Concelho de Vila Nova de Famalicão

1870 – Instalação da Fábrica de Fiação de Lã do Barão da Trovisqueira - Riba d’Ave

1890 - Sampaio & Ferreira, de Narciso Ferreira - Riba d’Ave

1896 - Empresa Social de Fiação e Tecidos do Rio Ave - Pedome

1905 - Empresa Têxtil Eléctrica, de Narciso Ferreira - Bairro

1909 - Oliveira, Ferreira & Cª, de Narciso Ferreira - Riba d’Ave

1917 – Empresa Fabril do Minho, de Manuel Ferreira Barbosa - Mogege

1927 - Fábrica de Tecidos do Rio Pele (Riopele) de José Dias de Oliveira – Pousada de Saramagos

1935 - Fábrica de Fiação e Tecidos do Vale (Têxtil Manuel Gonçalves) de Manuel Gonçalves - Vale S. Cosme


http://emsc.wordpress.com
  Vila Nova de Famalicão

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Lino Carvalho / José Carvalho - Famalicão

http://emsc.wordpress.com/
Presents




A Boa Reguladora _ Vila Nova de Famalicão


Eduardo Santos Carneiro, também no twitter...
http://twitter.com/eduardocarneiro

Os «manos Carvalho» como muitas vezes são citados, em jornais e livros do concelho, daí que não os separe pois o objectivo deles era comum, a fábrica de relógios «A Boa Reguladora». "Lino Gomes Costa Carvalho, notável artista relojoeiro dos fins do século XIX, nasceu em Santiago de Mouquim, concelho de Vila Nova de Famalicão...
... Em 1892 conseguira Lino Gomes Costa Carvalho a colaboração de seu irmão José Gomes Costa Carvalho, e em Abril abriram no Porto, a fábrica que ficou a chamar-se «A Boa Reguladora».
Em 1895 ... os irmãos Carvalho associaram-se com Joaquim de Oliveira Rocha, mudando a fábrica para a freguesia de S. Julião do Calendário, em Vila Nova de Famalicão. Ali continuaram os dois irmãos a produzir belos relógios.
Em Agosto de 1901 passou a fábrica a ser pertença apenas dos dois irmãos constituídos na firma J. Carvalho e Irmão, e o progresso da sua indústria foi rapidíssimo, ampliando-se as instalações com secções de fabrico de madeiras para construção, serragem, moagem e produção eléctrica..." (70).
"Lino Carvalho e José Carvalho, grandes industriais portugueses sediados em Vila Nova de Famalicão, «A Boa Reguladora» única fábrica de relógios no país e na península..., constituiu importantíssimo factor de progresso em Vila Nova de Famalicão"(71).
Estes grandes industriais eram mencionados quase todas as semanas no semanário local,”Estrella do Minho”, onde recebiam grandes elogios, como "distintos artistas, arrojados industriais" (72), "nossos amigos, activos industriais" (73), etc.
A indústria dos Irmãos Carvalho, não se cingia apenas à relojoaria, mas também à serração de madeiras, moagens e produção eléctrica.
Sobre a produção eléctrica devo mencionar a intenção dos irmãos Carvalho de dotarem a Vila de Famalicão de iluminação pública, isto é mencionado numa notícia de 24 de Maio de 1903 no jornal «Estrela do Minho», e a nota é a seguinte:
"Está prestes a concluir-se a instalação do grande motor ultimamente adquirido pela fábrica de relógios «A Boa Reguladora» dos activos industriais Carvalho e Irmão desta vila.
Ai tem a nossa terra ensejo de primeira ordem implantar aqui o alto melhoramento da luz eléctrica por preço mais económico do que nenhuma outra.
Sabemos que os proprietários da grande casa industrial se prestam a fornecer a iluminação desde que se lhes garanta apenas a despesa das instalações nas ruas, que é relativamente pequena, fazendo um preço às lâmpadas bastante económico" (74).
A nível industrial é sem dúvida uma das primeiras indústrias na Vila Nova de Famalicão, e do seu género (relógios) é a única da península Ibérica, daí que nos possamos orgulhar destes arrojados industriais, o valor da fábrica era tal que em todo o país, e segundo já constatei, encontram-se relógios da «Reguladora». Quase todas as estações dos caminhos-de-ferro portugueses possuem no seu exterior um relógio desta fábrica, fabricam-se também os contadores de água e electricidade que se podem ver em quase todas as casas portuguesas, pois são todos fabricados na «Reguladora» de Famalicão.(*)
Actualmente, ano de 2009, a empresa Boa Reguladora, em Famalicão, foi adquirida por dois dos seus antigos trabalhadores, que decidiram voltar a fabricar e a dar assistência técnica aos milhares de relógios espalhados por colecções particulares, um pouco por todo o mundo
As especificidades dos relógios são tantas que os novos proprietários da empresa, pediram a colaboração de antigos funcionários - muitos deles já reformados - que continuam a ser os únicos a saber desempenhar tarefas tão peculiares como "afinar as máquinas" e "sintonizar as Ave-Maria" com que são assinaladas todas as horas.(**)As caixas de madeira e todos os acabamentos continuarão a ser feitos em Famalicão e apenas o interior dos relógios passará a ser importado da Alemanha.

www.ecfamalic.blogs.sapo.pt
(70) Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira - Lisboa, Ed. Enciclopédia Lda., 1947, vol 12, p. 528.
(71) MACHADO, Carlos Sousa, et al -O Nosso Concelho: Obra de Todos para Todos: Vila Nova de Famalicão e as suas indústrias, comércio, profissões liberais e agricultura, Famalicão, Oficinas Gráficas Minerva - 1947.
(72) in Estrela do Minho - Famalicão, 18/Nov./1900, "Carvalho e Irmão", p.1.
(73) Idem,... 26/Abr./1903, p.3.
(74) Idem, ... 24/Mai./1903, p.2.
(*)CARNEIRO, Eduardo Manuel Santos (1997) -"Actividades Sócio-Culturais, Comerciais e Personalidades de Vila Nova de Famalicão no Início do Século XX", Boletim Cultural nº 14, C.M.F., V. N. Famalicão.
(**) Agência Lusa
http://emsc.wordpress.com/